Página Inicial
Acervo Iconográfico III
Heráldica e Vexilologia
Loja Virtual

LIVRO
Padre Sarmento de Benevides: poder e política nos sertões de Mombaça (1853-1867)
APOIO CULTURAL
Restaurante & Pizzaria Braseiro
Cenpel
DFL Limpeza Urbana
Lótus Produtos Dermocosméticos
Magazine Pneus
Centro Comercial Pedro Tomé
Premium Hotel
MEMBRO
ASBRAP - Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia
ACE - Associação Cearense dos Escritores
ANPUH - Associação Nacional de História
CRA-Ce - Conselho Regional de Administração do Ceará
Clique para ouvir o depoimento de Fernando Cruz à rádio Assembléia FM 96,7 sobre a história político-administrativa de Mombaça, em 16/03/2009.
PageRank

Voltar para a página anterior

Untitled Document

ARTIGOS

AÇUDE SERAFIM DIAS: FONTE DE VIDA PARA MOMBAÇA

 


Açude Serafim Dias (fotografia de Izaquiel Teixeira).

Fernando Antonio Lima Cruz

O açude Serafim Dias foi projetado em 1910 pelo engenheiro Tomaz Pompeu Sobrinho e, conforme memória justificativa dessa data, acumularia 27 milhões de m³ de água, possibilitando a irrigação de 300 hectares. Em um novo projeto o açude passaria a acumular 42.275.000 m³ de água.

A construção da barragem Serafim Dias, com capacidade de acumular 43 milhões de metros cúbicos de água, foi um sonho de quase 100 anos iniciado pelo padre Pedro Leão Paes de Andrade no início do século XX.

No ano de 1900 o semiárido cearense passou por uma das "secas" que, de tempos em tempos, aflige o sertanejo. As autoridades municipais da vila de Benjamin Constant (denominação de Mombaça no período de 1892 a 1918) enviaram ao presidente (governador) do Estado do Ceará Dr. Pedro Augusto Borges um extenso ofício de seis páginas descrevendo a situação do município e reivindicando obras emergenciais como a construção da barragem Serafim Dias.

Foram signatários do documento: o intendente municipal (prefeito) Fenelon Ferreira de Magalhães, o presidente da Câmara Municipal Augusto Francisco Vieira e os demais vereadores José Tavares de Sá Benevides, Silvino Lopes de Sá Benevides, Pedro Alves de Melo, Antonio Pedro de Araújo Benevides, Francisco da Cunha Freitas, João Monteiro de Araújo e Urbano Martins de Freitas.

Eis um breve relato contido no documento endereçado ao presidente do Estado do Ceará Dr. Pedro Augusto Borges: "Além dos indigentes deste município, que se tem concentrado nesta vila procurando serviço, esmolando diariamente por falta de qualquer trabalho, existem diversas famílias dos termos de Tauá, São Mateus (atual Jucás), Iguatu e outros, que à falta de recursos e serviço noutra localidade para onde se pudessem destinar, aqui ficaram sem encontrar trabalho, águas, vivendo exclusivamente de esmolas!"

O documento sugere a construção de pequenos e grandes açudes: "Temos neste município os melhores lugares para grandes e pequenos açudes: No rio Banabuiú, lugar Serafim Dias, há 5 km desta vila, onde com uma só e curta parede de alvenaria de pedra e cal, pode se fazer um reservatório superior ao do Quixadá em capacidade, represas, terrenos para irrigação, e fácil de encher, por ficar a barragem há 20 km aproximadamente das nascencias [sic] do rio recebendo as águas de 13 grandes riachos de 12 a 30 km de curso; obra importante que se conseguiria concluir com 20 contos."

Em 1900 o valor estimado para a construção da barragem Serafim Dias, conforme o documento, era de 20 contos de réis. Laurentino Gomes no livro "1808" faz uma conversão de réis em real, baseando-se em outros autores que se empenharam para torná-la a mais próxima do valor atual, levando em consideração os valores da inflação. Cabe lembrar que a conversão, mesmo próxima, não é exata. O valor aproximado sugerido para a construção da barragem Serafim Dias, no ano de 1900, é o seguinte: 1 Real = R$ 0,056; 1 Conto de Réis = R$ 56.000,00 (cinqüenta e seis mil reais); 20 Contos de Réis = R$ 1.120.000,00 (um milhão cento e vinte mil reais).

Quinze anos depois, no ano de 1915, o prefeito municipal Silvino Lopes de Sá Benevides enviou ao presidente (governador) do Estado do Ceará Dr. Benjamin Liberato Barroso ofício (datado de 1º de julho) acompanhado de uma representação da Câmara Municipal de Benjamin Constant para ser enviada ao ministro da Viação e Obras Públicas (antiga denominação do Ministério dos Transportes, de 1906 a 1967) Augusto Tavares de Lira (1872-1958) com novas reivindicações: "Este município confia e muito espera que V. Ex.ª envidará com máxima urgência os necessários esforços no sentido de ser iniciado o traçado de Girau a Crateús ou a construção do açude 'Serafim Dias', neste termo."

Girau é o atual município de Piquet Carneiro. Reivindicava-se a construção da linha férrea Piquet Carneiro-Crateús via Mombaça. Nenhuma das reivindicações seria atendida. O Serafim Dias ainda esperaria 74 anos para a autorização da obra.

Em 1989 o então deputado federal Antônio Paes de Andrade, presidente da Câmara dos Deputados, substituto constitucional do presidente da República José Sarney, assumiu interinamente a presidência da República em 12 ocasiões. Em uma delas assinou a ordem de serviço para a construção da barragem Serafim Dias, um sonho de quase um século dos mombacenses e que teve como precursor dessa luta o seu tio, o padre Pedro Leão Paes de Andrade.

(Publicado no jornal Folha de Mombaça, Ano XL, nº 172, Dezembro/2015).




© Copyright 2005-2017 Maria Pereira Web - Todos os direitos reservados.
David Elias - (85) 9954.0008