Página Inicial
Acervo Iconográfico III
Heráldica e Vexilologia
Loja Virtual

LIVRO
Padre Sarmento de Benevides: poder e política nos sertões de Mombaça (1853-1867)
APOIO CULTURAL
Restaurante & Pizzaria Braseiro
Lótus Produtos Dermocosméticos
Magazine Pneus
Centro Comercial Pedro Tomé
MEMBRO
ASBRAP - Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia
ACE - Associação Cearense dos Escritores
ANPUH - Associação Nacional de História
CRA-Ce - Conselho Regional de Administração do Ceará
Clique para ouvir o depoimento de Fernando Cruz à rádio Assembléia FM 96,7 sobre a história político-administrativa de Mombaça, em 16/03/2009.
PageRank

Voltar para a página anterior

Untitled Document

DAGMAR ADERALDO DE ARAÚJO CHAVES

BIOGRAFIA

 


Prof. Dr. Dagmar Aderaldo de Araújo Chaves, em 1954, quando ingressou na Academia Nacional de Medicina.

Dagmar Aderaldo [de Araújo] Chaves¹ nasceu em Mombaça-CE, a 15 de julho de 1908 e faleceu no Rio de Janeiro-RJ, a 29 de janeiro de 2002, aos 93 anos de idade. Era filho do capitão José Laurindo de Araújo Chaves e de Maria Etelvina Aderaldo Chaves.

Foi casado com a Sr.ª Rosa Peres Chaves com quem teve um filho, o Prof. Dr. Antônio Fernando Peres Chaves, médico ortopedista, Professor de Ortopedia na Faculdade de Medicina de Vassouras e Docente Livre da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Universidade Federal Fluminense, falecido em 1975, aos 37 anos de idade. Criou e educou a sua sobrinha Maria de Fátima (filha de sua irmã Zilda), falecida em 2002, aos 41 anos de idade, que foi casada com o médico ortopedista Dr. Cícero César de Araújo Nanô, deixando dois filhos Ana Beatriz e Cícero Júnior.

Cursou a Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil no Rio de Janeiro, concluindo-a em 1932. Durante toda a sua vida profissional, foi um incansável professor dedicado ao ensino da Ortopedia. Ocupou as Cátedras da especialidade da Faculdade de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade da Guanabara, da Faculdade de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Escola de Enfermagem Rachel Haddock.

Além de várias teses e do livro “Lições de Clínica Ortopédica”, publicou numerosos trabalhos em periódicos brasileiros e estrangeiros. Representou o Brasil na qualidade de Delegado da Societé Internationale de Chirurgie Orthopedique et Traumatologie (SICOT), tendo sido presidente do XV Congresso da SICOT, realizado em 1981, no Rio de Janeiro.

Muito interessado nos problemas de tuberculose óssea, inspirou a criação do Hospital Anchieta, onde, além da direção, chefiou o Serviço da especialidade. Tornou-se membro titular da SBOT em 1942 e foi presidente da Regional da SBOT em 1945-1947, além de ter sido fundador da Sociedade Latino Americana de Ortopedia e Traumatologia (SLAOT) e da Regional da SBOT de Niterói.

No final de 1945, Chaves aceitou a incumbência de equipar, fazer funcionar e chefiar o recém-fundado Pavilhão Henrique Dodsworth, que se destinava ao tratamento de crianças, especialmente daquelas que sofriam de tuberculose osteoarticular.

(Fonte: REIS, Fernando Baldy dos; MERCADANTE, Marcelo Tomanik. 75 Anos da SBOT - Registro Histórico. Rio de Janeiro: Palavra Impressa Editora, 2010.)

(1) Dagmar Aderaldo de Araújo Chaves, médico, intelectual, orador, conferencista, escritor e publicista, era filho do capitão José Laurindo de Araújo Chaves e de Maria Etelvina Aderaldo Chaves. Nasceu em Benjamin Constant, atual Mombaça-CE, às 15:30 horas do dia 15 de julho de 1908 (conforme consta à folha 18-v, do Livro nº A-02 de Registro de Nascimento, do Cartório Costa - 1º Ofício, sendo declarante o próprio pai e tendo como testemunhas José Camilo de Lima e João Firmino Vieira de Sousa) e faleceu no Rio de Janeiro-RJ, a 29 de janeiro de 2002, aos 93 anos de idade.


© Copyright 2005-2017 Maria Pereira Web - Todos os direitos reservados.
David Elias - (85) 9954.0008