Página Inicial
Acervo Iconográfico III
Heráldica e Vexilologia
Loja Virtual

LIVRO
Padre Sarmento de Benevides: poder e política nos sertões de Mombaça (1853-1867)
APOIO CULTURAL
Restaurante & Pizzaria Braseiro
Lótus Produtos Dermocosméticos
Magazine Pneus
Centro Comercial Pedro Tomé
MEMBRO
ASBRAP - Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia
ACE - Associação Cearense dos Escritores
ANPUH - Associação Nacional de História
CRA-Ce - Conselho Regional de Administração do Ceará
Clique para ouvir o depoimento de Fernando Cruz à rádio Assembléia FM 96,7 sobre a história político-administrativa de Mombaça, em 16/03/2009.
PageRank

Voltar para a página anterior

Untitled Document

FRANCISCO ALVES DE ANDRADE E CASTRO

BIOGRAFIA

 


Foi-lhe concedida a Medalha do Mérito Agronômico do Brasil, outorgada pela Federação das Associações de Engenheiros Agrônomos do Brasil, a 21 de janeiro de 1972, em reconhecimento aos inestimáveis serviços prestados à classe agronômica brasileira e à comunidade nacional, consoante diploma.

Este eminente intelectual, Francisco Alves de Andrade e Castro, nasceu no sítio Recreio (Mombaça-CE), em 21 de novembro de 1913, e morreu em Fortaleza (CE), aos 6 de outubro de 2001. Foram seus pais: José Alves de Castro e Raimunda Paes de Andrade.

Engenheiro Agrônomo pela Escola de Agronomia do Ceará (1938) e Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito do Ceará (1942), realizou importante carreira pública, ocupando cargos e desempenhando missões estaduais e federais. Fazendeiro e destacado ruralista, foi professor catedrático de Zootecnia Especial da Escola de Agronomia do Ceará, professor visitante e Doutor Honoris Causa da Escola Superior de Agricultura de Mossoró (RN) e Professor Emérito da Universidade Federal do Ceará (1983), agraciado com a medalha e diploma do Mérito Agronômico do Brasil (1971).

Ingressou como sócio na Academia Cearense de Letras, em 21 de novembro de 1970 e no Instituto do Ceará (Histórico, Geográfico e Antropológico), com posse em 30 de março de 1953.

Deixou grande bibliografia sobre recursos naturais, agricultura ecológica, secas e sociologia rural; os textos sobre a reforma agrária no Polígono das Secas tiveram repercussão nacional. Toda a sua obra mostra permanente preocupação com a proteção e conservação da natureza, sendo mesmo difícil indicar trabalhos de maior importância naturalista.

(Fonte: PAIVA, Melquíades Pinto. Os naturalistas da Academia Cearense de Letras. Revista da Academia Cearense de Letras, Fortaleza, v. 70, p. 76-89, 2009.)


© Copyright 2005-2017 Maria Pereira Web - Todos os direitos reservados.
David Elias - (85) 9954.0008