Página Inicial
Acervo Iconográfico III
Heráldica e Vexilologia
Loja Virtual

LIVRO
Padre Sarmento de Benevides: poder e política nos sertões de Mombaça (1853-1867)
APOIO CULTURAL
Restaurante & Pizzaria Braseiro
Lótus Produtos Dermocosméticos
Magazine Pneus
Centro Comercial Pedro Tomé
MEMBRO
ASBRAP - Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia
ACE - Associação Cearense dos Escritores
ANPUH - Associação Nacional de História
CRA-Ce - Conselho Regional de Administração do Ceará
Clique para ouvir o depoimento de Fernando Cruz à rádio Assembléia FM 96,7 sobre a história político-administrativa de Mombaça, em 16/03/2009.
PageRank

Voltar para a página anterior

Untitled Document

ENQUETES

JOSÉ BENEVENUTO DE LIMA E DAGMAR ADERALDO DE ARAÚJO CHAVES

José Benevenuto de Lima, nasceu em Catolé do Mosquito, distrito de Mombaça-Ce, a 8 de setembro de 1878 e faleceu no Rio de Janeiro-Rj, a 10 de fevereiro de 1936, aos 57 anos de idade. Filho de Benevenuto de Barros Lima e de Umbelina Eugênia da Conceição Lima. Foi um dos fundadores e elaboradores dos estatutos da Associação Brasileira de Farmacêuticos, fundada em 20/01/1916, no salão de conferências do Círculo Católico, no Rio de Janeiro. Ingressou na Academia Nacional de Medicina em 24/11/1927, apresentando a monografia “Novo dissolvente do cloridrato básico de quinina para solutos hipodérmicos”, sendo o 308º membro titular. Integrou o Laboratório Químico Farmacêutico do Exército, berço da indústria farmacêutica nacional e que muito contribuiu para a formação do ensino superior de farmácia no Brasil. Quando faleceu exercia a patente de major. É o patrono da cadeira nº 32, seção Farmácia, categoria Exército, da Academia Brasileira de Medicina Militar, fundada em 08/12/1941, por médicos e farmacêuticos militares, sediada no Rio de Janeiro-Rj e que tem por objetivo incentivar o estudo das Ciências da Saúde em geral e em suas aplicações a Medicina Militar, cooperar com os poderes públicos em assuntos de saúde nas atividades militares, catástrofes e o interesse público.

Dagmar Aderaldo de Araújo Chaves, nasceu em Mombaça-Ce, a 15 de julho de 1908 e faleceu no Rio de Janeiro-Rj, a 29 de janeiro de 2002, aos 93 anos de idade. Filho do capitão José Laurindo de Araújo Chaves e de Maria Etelvina Aderaldo Chaves. Foi casado com a sra. Rosa Peres Chaves, com quem teve um filho, o médico ortopedista Dr. Antonio Fernando Peres Chaves, falecido em 1975, aos 37 anos de idade. Criou e educou a sua sobrinha Maria de Fátima (filha de sua irmã Zilda), falecida em 2002, aos 41 anos de idade, que foi casada com o médico ortopedista Dr. Cícero César de Araújo Nanô, deixando dois filhos Ana Beatriz e Cícero Júnior. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil em 1932. Foi idealizador e organizador do Hospital Estadual Anchieta, no Rio de Janeiro, sendo Diretor e Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia, durante 31 anos. Foi Professor Emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro - Faculdade de Medicina - UFRJ; da Universidade do Estado do Rio - Faculdade de Medicina - UERJ e da Fundação Sul Fluminense - Faculdade de Medicina de Vassouras. Pertenceu a diversas sociedades profissionais e culturais. Ingressou na Academia Nacional de Medicina em 05/08/1954, sendo o 408º membro titular, onde foi 2º vice-presidente, tesoureiro e presidente da Secção de Cirurgia.


© Copyright 2005-2017 Maria Pereira Web - Todos os direitos reservados.
David Elias - (85) 9954.0008