Página Inicial
Acervo Iconográfico III
Heráldica e Vexilologia
Loja Virtual

LIVRO
Padre Sarmento de Benevides: poder e política nos sertões de Mombaça (1853-1867)
APOIO CULTURAL
Restaurante & Pizzaria Braseiro
Lótus Produtos Dermocosméticos
Magazine Pneus
Centro Comercial Pedro Tomé
MEMBRO
ASBRAP - Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia
ACE - Associação Cearense dos Escritores
ANPUH - Associação Nacional de História
CRA-Ce - Conselho Regional de Administração do Ceará
Clique para ouvir o depoimento de Fernando Cruz à rádio Assembléia FM 96,7 sobre a história político-administrativa de Mombaça, em 16/03/2009.
PageRank

Voltar para a página anterior

Untitled Document

ACERVO ICONOGRÁFICO I

 


Des. Otacílio Peixoto de Alencar

Otacílio Peixoto de Alencar nasceu a 8 de julho de 1903, no Crato-Ce e faleceu a 20 de junho de 1974, em Fortaleza-Ce, aos 70 anos de idade. Era filho de Manuel Peixoto de Alencar e de Petronília Belém de Alencar, membro de um grupo familiar de 14 irmãos. Realizou os estudos básicos na cidade natal, formando-se em Direito na Faculdade de Direito do Ceará, em 1935. Sua vida foi quase toda dedicada à magistratura, tendo servido na estrada de ferro Sorocabana, em São Paulo, e sido secretário do Colégio Castelo, na capital cearense, em períodos anteriores à sua formatura. De 1935 ao princípio de 1938 foi promotor de justiça em comarcas do interior cearense. Ainda em 1938, ingressou na magistratura, exercendo as funções de juiz nas cidades de Aurora, Mombaça, Assaré, Boa Viagem, Senador Pompeu, Limoeiro do Norte, Crato, Itapipoca, atingindo a 4ª entrância, em Fortaleza, em 1954, como juiz da 1ª Vara Criminal. Quando juiz municipal de Mombaça, exerceu a função de prefeito municipal por alguns dias, em 1945. Promovido a desembargador em 1959, por antiguidade, veio a ser posto em disponibilidade em face do ingresso do seu irmão, Mário Peixoto de Alencar, no mesmo posto, por indicação oficial. Diversos membros de sua família se dedicaram à causa da justiça, figurando entre eles, pelo destemor com que sempre se houve, o seu tio, desembargador Cursino Belém de Figueiredo. Foi casado com a Sra. Francisca Araújo Alencar com quem teve os seguintes filhos: Francisco Abner, José Alber, Sônia, Sonalice e Irene, sobrinha e filha adotiva.

Untitled Document


© Copyright 2005-2017 Maria Pereira Web - Todos os direitos reservados.
David Elias - (85) 9954.0008