Página Inicial
Acervo Iconográfico III
Heráldica e Vexilologia
Loja Virtual

LIVRO
Padre Sarmento de Benevides: poder e política nos sertões de Mombaça (1853-1867)
APOIO CULTURAL
Restaurante & Pizzaria Braseiro
Lótus Produtos Dermocosméticos
Magazine Pneus
Centro Comercial Pedro Tomé
MEMBRO
ASBRAP - Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia
ACE - Associação Cearense dos Escritores
ANPUH - Associação Nacional de História
CRA-Ce - Conselho Regional de Administração do Ceará
Clique para ouvir o depoimento de Fernando Cruz à rádio Assembléia FM 96,7 sobre a história político-administrativa de Mombaça, em 16/03/2009.
PageRank

Voltar para a página anterior

Untitled Document

HISTÓRIA


Mombasa: importante cidade portuária do Quênia

A MOMBASA QUENIANA

 

Mombasa ou Mombaça, a segunda maior cidade do Quênia com uma população de 660.800 habitantes (1999), foi capital do Protetorado Britânico da África Oriental até 1905, quando foi substituída por Nairobi, atual capital queniana, da qual está ligada por ferrovia.

Segundo o sr. Joseph E. de Sousa, um cearense de Pacoti, cidadão do mundo, que residiu num pé de serra das Montanhas Rochosas, no Colorado, Estados Unidos, proprietário da Krona International, empresa fundada há mais de cinqüenta anos, que comercializa principalmente gemas lapidadas, importadas de muitos países e revendidas ao redor do mundo, o mesmo “esteve muitas vezes na Mombasa queniana, que é um jardim de beleza - nunca vi tantas flores numa cidade.”

Continuando o seu relato, diz o seguinte: “Quanto à grafia, como o alfabeto inglês não tem ‘ç’ (c-cedilhado), creio que usaram o mais lógico ‘Mombasa’ (mesmo porque em espanhol, por exemplo, o ‘s’ mesmo entre vogais soa como nosso c-cedilha).”


Fortaleza de Mombasa

No atual Quênia, os portugueses construíram no século XVI duas importantes fortalezas: Mombaça e Melinde. Melinde foi o primeiro local onde os portugueses se fixaram, sendo a partir daqui que se deslocaram para Mombaça. A conquista de Mombaça, em 1528, aos swahilis pelos portugueses foi das mais difíceis em todo o Oriente. Após terem tomado e parcialmente destruído a cidade, iniciaram a construção de uma nova, assim como de uma imponente fortaleza, o Forte de Jesus. A fortaleza foi desenhada pelo arquiteto italiano Giovanni Battista Cairati que trabalhou em Goa. Foi inaugurada a 11 de abril de 1593, permanecendo praticamente intacta até aos nossos dias. Devido à sua importância estratégica, foi palco de diversas batalhas. Em 1698 foi conquistado pelos árabes de Omã, após um cerco de 3 anos. Instalados no Forte atacaram e tomaram a cidade portuguesa de Gavana (cidade velha de Mombaça). Entre 1741 e 1837, Mombaça tornou-se numa cidade-estado independente. O domínio de Omã perdurou até 1888. No entanto em 1875 os ingleses dominavam de fato a cidade. Com a constituição, em 1895, da colônia inglesa do Quênia, o Forte de Jesus é convertido numa prisão governamental.

Entre 1958 e 1960 o Forte foi reconstruído com o apoio da Fundação Calouste Gulbelnkian (Portugal). É atualmente o museu mais visitado do Quênia.

Música-tema da página: Odeon, de Ernesto Júlio Nazareth (1863-1934), pianista e compositor brasileiro, considerado um dos grandes nomes do "tango brasileiro" ou, simplesmente, choro.


© Copyright 2005-2017 Maria Pereira Web - Todos os direitos reservados.
David Elias - (85) 9954.0008