Página Inicial
Acervo Iconográfico III
Heráldica e Vexilologia
Loja Virtual

LIVRO
Padre Sarmento de Benevides: poder e política nos sertões de Mombaça (1853-1867)
APOIO CULTURAL
Restaurante & Pizzaria Braseiro
Lótus Produtos Dermocosméticos
Magazine Pneus
Centro Comercial Pedro Tomé
MEMBRO
ASBRAP - Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia
ACE - Associação Cearense dos Escritores
ANPUH - Associação Nacional de História
CRA-Ce - Conselho Regional de Administração do Ceará
Clique para ouvir o depoimento de Fernando Cruz à rádio Assembléia FM 96,7 sobre a história político-administrativa de Mombaça, em 16/03/2009.
PageRank

Voltar para a página anterior

Untitled Document

HISTÓRIA


Ilustração de Percy Lau (1903-1972).

O POVOAMENTO DOS SERTÕES DE MOMBAÇA

 

Fernando Antonio Lima Cruz

O marco inicial do povoamento de Mombaça foi a concessão da sesmaria ao coronel João de Barros Braga, à pernambucana Maria Pereira da Silva e ao português Serafim Dias, em 12 de outubro de 1706.

Dos três sesmeiros, apenas o coronel João de Barros Braga (que era casado com uma irmã de Maria Pereira da Silva), não fixou residência nas suas terras, tomando posse das mesmas por intermédio dos seus vaqueiros.

O coronel João de Barros Braga deixou um lamentável legado histórico para o Brasil. De acordo com o historiador José Eudes Arrais Barroso Gomes em "As milícias d’El Rey: tropas militares e poder no Ceará setecentista": "Autorizado por uma ordem do capitão-mor interino do Ceará, Plácido de Azevedo, em 1713 o coronel João de Barros Braga liderou uma expedição de guerra aos índios Jaguaribara, Canindé e Anacé na ribeira do Jaguaribe,...". Continuando, acrescenta: "Em 1727, o coronel João de Barros Braga liderou uma nova campanha de guerra aos "gentios" da capitania, desta feita subindo as extensas ribeiras do Jaguaribe e Banabuiú até atingir os limites da capitania do Piauí, matando e escravizando a um grande número, incursão que parece ter sido a última grande expedição de guerra aos índios na capitania do Ceará-Grande".

Em 1730, João de Barros Braga recebeu como mercê do vice-rei do Estado do Brasil, Vasco Fernandes Cezar de Menezes, o posto de capitão-mor da capitania do Rio Grande em reconhecimento aos serviços prestados, por quase 33 anos, à capitania do Ceará Grande.

A pernambucana Maria Pereira da Silva, que é considerada a fundadora de Mombaça, era filha de Cosme Pereira Façanha e de Brites da Silva. Foi casada com João da Cunha Pereira, com quem teve 10 (dez) filhos. De sua filha Maria Teresa de Souza casada com o português Pedro de Souza Barbalho, pais de Maurícia Pereira da Silva, descendem a grande parte das famílias de Mombaça.

Cosme Pereira Façanha, pai de Maria Pereira da Silva, era almoxarife da Fazenda Real de Pernambuco, cargo ocupado por cerca de 18 anos. Segundo o historiador mombacense Prof. Rafael Ricarte da Silva em "A formação da primeira elite colonial dos sertões de Mombaça: Terra, família e poder (1706-1782)" (Revista do Arquivo Público do Estado do Ceará, 2009, p. 155-168): "Este cargo era importante no período, pois o almoxarife da Fazenda Real era uma das autoridades responsáveis por controlar, fiscalizar o comércio existente na capitania. Portanto este deixa o cargo que ocupava na Capitania de Pernambuco e migra para os Sertões de Mombaça, onde estabelece sua propriedade".

Entre a concessão da primeira sesmaria no ano de 1706 e o final do século XVIII pouco se conhece sobre a história mombacense. Segundo Augusto Tavares de Sá e Benevides, em "Mombaça: biografia de um sertão" (Imprensa Oficial do Ceará, 1980): “Concedidas as terras de Sesmarias, implantaram-se as Fazendas de criação de gados, consolidando-se o domínio sobre as posses firmadas”.

Conforme a tradição oral, Maria Pereira da Silva atraía os viajantes em demanda do litoral à sua fazenda denominada de Boca da Picada, depois fazenda Maria Pereira (onde hoje está situada a sede do município), por sua hospitalidade, servindo de pouso para os viajantes e repasto para os animais.

Há dois anos a Câmara Municipal de Mombaça aprovou por unanimidade em sua sessão ordinária realizada no dia 16/02/2013 decreto legislativo de autoria do vereador Fernando Antonio Alves de Alencar, popularmente conhecido como Borel Alencar, criando a "Medalha do Mérito Municipal Maria Pereira da Silva", tornando-a assim, como distinções congêneres de outros municípios brasileiros, na principal comenda do município de Mombaça.

(Publicado no jornal Folha de Mombaça, Ano XXXIX, nº 164, Abril/2015).

Referências bibliográficas:
ANDRADE, F. Alves de. Mensagens em minúsculas e saga dos sertões de Mombaça. Fortaleza: Stylus Comunicações, 1987.
BENEVIDES, Artur Augusto Castelo. Onde estamos. Fortaleza: ABC Fortaleza, 2000.
BENEVIDES, Augusto Tavares de Sá e. Mombaça: biografia de um sertão. Fortaleza: Imprensa Oficial do Ceará, 1980.
COSTA SOBRINHO, Manuel. Minha árvore genealógica. Fortaleza: [sine nome], 1997.
CRUZ, Fernando Antonio Lima. Padre Sarmento de Benevides: poder e política nos sertões de Mombaça (1853-1867). Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2010.
FONSECA, Antonio José Victoriano Borges da. Nobiliarchia pernambucana. Mossoró: Coleção Mossoroense, IV v., 1993.
GOMES, José Eudes Arrais Barroso. As milícias d'El Rey: tropas militares e poder no Ceará setecentista. 2009. 273 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2009.
NOBRE, Geraldo. O processo histórico de industrialização do Ceará. Fortaleza: FIEC, 1989.
SILVA, Rafael Ricarte da. A formação da primeira elite colonial dos sertões de Mombaça: terra, família e poder (1706-1782). Revista do Arquivo Público do Estado do Ceará, Fortaleza, n. 6, p. 155-168, 2009.
SILVA, Rafael Ricarte da. Formação da elite colonial dos Sertões de Mombaça: terra, família e poder (Século XVIII). 2010. 188 p. Dissertação (Mestrado em História Social) - Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.

Internet:
A família Barbosa Cordeiro, de Vinícius Barros Leal. Disponível em <http://www.ceara.pro.br/Instituto-site/Rev-apresentacao/RevPorAno/2005/2005-AFamiliaBarbosaCordeiro.pdf>. Acesso em 24-JUL-2009.
Antigas Famílias, de Francisco Augusto. Disponível em <http://familiascearenses.com.br/images/ANTIGAS.pdf>. Acesso em 29-AGO-2006.
Uma Família do Aracati - Ascendentes do Padre Ibiapina, de Francisco Augusto. Disponível em: <http://familiascearenses.com.br/images/PINTO.pdf>. Acesso em 24-JUL-2009.

Música-tema da página: Odeon, de Ernesto Júlio Nazareth (1863-1934), pianista e compositor brasileiro, considerado um dos grandes nomes do "tango brasileiro" ou, simplesmente, choro.




© Copyright 2005-2017 Maria Pereira Web - Todos os direitos reservados.
David Elias - (85) 9954.0008