Página Inicial
Acervo Iconográfico III
Heráldica e Vexilologia
Loja Virtual

LIVRO
Padre Sarmento de Benevides: poder e política nos sertões de Mombaça (1853-1867)
APOIO CULTURAL
Restaurante & Pizzaria Braseiro
Lótus Produtos Dermocosméticos
Magazine Pneus
Centro Comercial Pedro Tomé
MEMBRO
ASBRAP - Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia
ACE - Associação Cearense dos Escritores
ANPUH - Associação Nacional de História
CRA-Ce - Conselho Regional de Administração do Ceará
Clique para ouvir o depoimento de Fernando Cruz à rádio Assembléia FM 96,7 sobre a história político-administrativa de Mombaça, em 16/03/2009.
PageRank

Voltar para a página anterior

Untitled Document

NOTÍCIAS

FALECEU O CIDADÃO MOMBACENSE TELÊ SANTANA, O “FIO DE ESPERANÇA”

 

22/04/06


Joaquim Márcio de Freitas, Telê Santana, Fernando Cruz, Etevaldo Lima Cruz e Antônio Fernandes Martins

O ex-técnico de futebol Telê Santana faleceu na manhã desta sexta-feira, 21 de abril, às 11:50h, em Belo Horizonte-MG, vítima de falência múltipla dos órgãos, depois de uma infecção generalizada. Telê tinha 74 anos e estava internado no Hospital Felício Rocho desde o dia 25 de março.

Telê Santana faleceu, coincidentemente, no Dia de Tiradentes, o protomártir da independência, além de serem mineiros. Segundo o jornalista esportivo Chico Lang, Telê Santana é o mártir do futebol arte.

Telê Santana Silva nasceu em Itabirito, Minas Gerais, em 26 de julho de 1931. Foi atleta de futebol profissional, atuando nas equipes do Fluminense (RJ), Guarani (SP), Madureira (RJ) e Vasco da Gama (RJ).

Conhecido por “Fio de Esperança” - era magérrimo e jamais desistia de brigar pelo resultado - Telê ao encerrar a carreira como atleta de futebol, iniciou a carreira de técnico de futebol nos juvenis do Fluminense (RJ), clube que o projetou, em 1967. Além do Fluminense (RJ), dirigiu entre outras as equipes do Atlético (MG), Grêmio (RS) e São Paulo (SP). Foi técnico da Seleção Brasileira nas copas de 1982 e 1986.

E se como atleta tornou-se essencialmente útil, tido por muitos como craque, foi como técnico que ganhou o reconhecimento do planeta futebol, conquistando títulos regionais, nacionais, continentais e mundiais. Defendeu o jogo técnico, criativo, disciplinado taticamente, sobretudo ofensivo, na prática um retrato da arte do talento brasileiro. Há quase um concenso de que formou em 1982, na Copa da Espanha, a última grande Seleção genuinamente Brasileira da história.

No dia 1º de novembro de 1981 recebeu o título de “Cidadão Mombacense”. Naquela ocasião o jornalista mombacense Robério Vieira, o “Gata Mansa”, era Assessor de Imprensa da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Veja mais fotografias de Telê Santana, em Mombaça-CE, na seção Acervo Iconográfico.

Clique nas imagens miniaturizadas abaixo para ampliá-las.


© Copyright 2005-2017 Maria Pereira Web - Todos os direitos reservados.
David Elias - (85) 9954.0008